08/04/2011

Resenha: Luta nas Classes

"E o salário, ó!"


Sabe aquelas situações forçosamente enfadonhas, em que 15 minutos parecem 2 horas? Isso acontece quando se está no metrô indo para o trabalho, ou naquela fila interminável do banco... Pois é. Essa é a hora de sacar o Luta nas Classes. Assim, em vez de ficar pensando como será insuportável o dia no escritório ou de que maneiras se poderia esfolar o gerente de sua agência, que não coloca caixas suficientes à disposição dos clientes, você irá desanuviar a mente com um texto agradável. “Agradável? Um livro marxista?”, devem estar pensando alguns leitores. Mas calma aí! Não estou falando da luta de classes, e sim do livro de Bernardo Jablonski (isso mesmo! O organizador do livro do Fernando Caruso) e Ronald Fucs, Luta nas Classes – 1.001 Maneiras de Detonar Seu Professor (nova edição: revista, aumentada e piorada) (Ed. Caravansarai), um texto bem bobo. “Bobo?” Sim, isso mesmo, mas não idiotamente bobo. Até para dizer bobeiras é preciso talento (as figuraças do Casseta & Planeta que o digam). Eu diria, então, que o livro é divertidamente bobo. Os autores têm mais de três décadas de experiência como professores e sabem satirizar como ninguém o universo escolar e acadêmico, do Ensino Fundamental à Pós-Graduação.

Eu não postei este artigo antes porque tive uma baita diarreia
O livro é, em linhas gerais, um “manual” de como levar na sacanagem os anos em que somos obrigados a estudar, com direito a uma parte dedicada especialmente à “arte da cola”. Depois de entrar no clima e devorar as 127 páginas, você certamente ficará com um gostinho de quero mais. Sem problemas! É só comprar o Luta nas Classes 2: o Professor Contra-Ataca e o Aluno se Defende.

Ah! Antes de terminar, uma informação importante: as ilustrações são do cartunista Nani. Dispensa apresentações, né?!

No teste abaixo, não deu pra encher linguiça
UM EXEMPLAR FOI GANHO POR UM LEITOR DO BLOG! VEJA COMO FOI MOLE!
Como este post fala de professores, alunos e escola, escolhemos o vencedor de forma diferente. Não houve sorteio! O primeiro seguidor que leu as 11 frases abaixo e apontou a(s) correta(s) levou o livro. Cada participante teve 3 tentativas e nem precisou justificar o porquê. Que moleza, hein!?

SOLUÇÃO DO TESTE:
Todas as frases estão corretas.

1- Aquela mulher tem voluptuosa perna e seios.
Correta. Concordância nominal em que temos um adjetivo anteposto para dois substantivos. Nesse caso, só vale a concordância atrativa, ou seja, o adjetivo deve concordar com o substantivo ao lado dele.

2- Estava escondida a caneta e o lápis.
Correta. Nesse caso, “estava” é verbo de ligação (não denota ação, mas estado) e o adjetivo “escondida” é predicativo do sujeito. Ou seja, a frase está simplesmente em ordem inversa, com o sujeito após o predicado. Quanto à concordância nominal, então, vale tanto a atrativa (a escrita acima) quanto a gramatical (Estavam escondidos a caneta e o lápis).

3- Tudo é rosas.
Correta. Quando o sujeito for o pronome indefinido “tudo”, o verbo “ser” concordará preferencialmente com o predicativo (no caso, “rosas”), embora possa concordar também com o sujeito (como na frase acima).

4- A professora ficou todo preocupada com a ausência do aluno.
Correta. A palavra “todo”, no caso, é advérbio, assim como “pouco”, “muito” etc. Portanto, a regra é que não deve variar, embora os gramáticos aceitem, excepcionalmente, a variação desse advérbio em função do costume (todos nós falamos “toda preocupada”, “toda empolgada”...).

5- Eu já li bastantes romances.
Correta. “Bastantes” varia porque não é advérbio, mas um pronome indefinido (veja que a palavra pode ser substituída por “muitos”).

6- Chegaram as mestras todo-poderosas.
Correta. No caso, o pronome indefinido “todo” está ligado a um adjetivo (“poderosas”), não a um substantivo, tornando-se um advérbio (de intensidade), que é invariável.

7- Ela ficou meio abalada com a prova.
Correta. “Meio”, claro, é advérbio. Ou seja, não varia. Escrever “meia abalada” é tão errado quanto dizer “menas abalada”.

8- Aqueles escritores escrevem tais qual Machado de Assis.
Correta. A regra é: “tal” deve concordar com o termo anterior e “qual” deve concordar com o termo posterior.

9- As professoras estavam alerta.
Correta. “Alerta” não é adjetivo como parece, mas advérbio (portanto, invariável). No caso, a expressão “em estado de” está subentendida: As professoras estavam (em estado) de alerta.

10- As encomendas despachadas ontem foram entregues em mão.
Correta: A expressão “em mão” é uma redução de “em mão própria”.

11- A aluna comprou duas mochilas rosa, três saias azul-escuras, duas camisas verde-piscina e quatro casacos azul-marinho.
Correta.
Regras para cores quando na função adjetiva:
a) Quando o nome da cor vem de um substantivo: fica subentendida a expressão “cor de” (como em “mochilas [cor-de-]rosa”). Portanto, não varia.
b) Quando o nome da cor é composto por dois adjetivos: em regra, só o último varia (como em “saias azul-escuras”).
c) Quando o nome da cor é composto, sendo o segundo um substantivo: em regra, não varia (como em “camisas verde-piscina”).
d) Azul-marinho: é uma das exceções à regra exposta na letra b). Explicação: “marinho”, no nome da cor, é um adjetivo que evoluiu de um substantivo (falava-se “azul-mar”).

A vencedora foi: Stephanie.

39 comentários:

  1. As frases que estão escritas corretamente são: 7 e a 8

    ResponderExcluir
  2. As frases corretas são : 2-3-6 e 10

    ResponderExcluir
  3. 6, 7 e 11 estão corretas.

    Estou dizendo isso, mas a 6 e a 11 me confundiram.

    ResponderExcluir
  4. Creio que as frases corretas são: 6, 7 e 10

    ResponderExcluir
  5. 1 - 2 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11

    ResponderExcluir
  6. Estão certas-1-2-35-6-7-8-9-10 e 1.

    ResponderExcluir
  7. As frases 1, 2, 5, 6, 7, 9, 10, 11.

    ResponderExcluir
  8. 2 tentativa: 1 - 2 - 5 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11

    3 tentativa: Estão todas corretas.

    ResponderExcluir
  9. Acabaram as minhas possibilidades, né?

    ResponderExcluir
  10. Essas frases que você escolheu são todas bem caroço, hein?? rsrsr

    ResponderExcluir
  11. as frases : 1 - 2 -4- 5 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11

    ResponderExcluir
  12. 2a. tentativa:
    Corretas: 6, 7 e 9

    ResponderExcluir
  13. Todas são, corretas, exceto a 4 e a 8.

    ResponderExcluir
  14. 1ª:
    Todas estão corretas, exceto a 4ª.

    ResponderExcluir
  15. HUHA ai meu Deus, que minha professora não veja isso!
    2ª: Todas estão corretas? huahua

    ResponderExcluir
  16. Jéssica, a Bruna já acertou: todas as frases estão corretas.

    ResponderExcluir
  17. Todas estão corretas? Então a Stephanie ganhou. Ela já tinha dito na 3a. tentativa lá em cima. Ela postou junto com a 2a. tentativa.

    ResponderExcluir
  18. Foi mal, Bruna. Eu jamais ia imaginar alguém dando dois tiros num post só. Passou batido! Mas vou tentar arranjar pelo menos um outro "Luta nas Classes" com a editora pra vc. Bjs

    ResponderExcluir
  19. O que é o TODO da frase 4? Não pode ser advérbio pq o predicado é nominal. O que justifica essa palavra, que não é advérbio, estar no masculino?

    ResponderExcluir
  20. E eu, que peguei o erro? Não ganho nem Parabéns? kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  21. Ah, tudo bem. :)
    Mas vai ser bem bacana se conseguir, claro. huaha :D
    De qualquer forma foi legal participar, porque em sorteio eu não tenho sorte nenhuma, rs!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Oi, Adriana. Depois que as respostas forem liberadas, manda sua contestação. Bjs

    ResponderExcluir
  23. Mas já adianto que sua alegação não procede. Veja os exemplos de predicados nominais aqui:
    http://www.webvestiba.com.br/app/Files/L%C3%8DNGUA_PORTUGUESA_Demo.pdf

    ResponderExcluir
  24. Dúvidas ainda na frase 4: todo pode funcionar como advérbio? Pra mim Todo é pronome e pronto. E mesmo que seja, a frase soa horrível!! Entendo que você tenha escolhido para o desafio, mas não seria melhor pensar também no aspecto comunicativo?

    De qualquer forma adorei o desafio. Estou seguindo o blog e o Twitter, espero que logo tenha outros!!

    ResponderExcluir
  25. Oi, Adriana.
    Basta olhar o Aurélio para ver que "todo" também funciona como advérbio:

    to.do (ô)

    Adjetivo.
    1.Inteiro, total.
    2.A que não falta parte alguma.
    Pronome indefinido.
    3.Qualquer, cada.
    Advérbio.
    4.Completamente; inteiramente.
    Substantivo masculino.
    5.V. totalidade. [Flex. de 1 a 3: todos (ô), toda(s) (ô).]

    Quanto a soar horrível, concordo. Mas estamos analisando a questão do ponto de vista gramatical. E, de qualquer modo, desafios não seriam desafios sem pegadinhas.

    Obrigado por seguir, participar e se esmerar nos comentários.
    Abs.

    ResponderExcluir
  26. Bruna,
    a editora liberou um exemplar de Luta nas Classes para você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  27. Ah, muito obrigada Sérgio! Fico feliz. :D
    Espero ser mais rápida nos próximos desafios! Huahua.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
abcs